Os queijos de origem italiana fazem sucesso em todo o mundo. Um dos alimentos mais importantes do país da bota, os queijos lá produzidos recebem atenção especial em seu tratamento – da ordenha até sua chegada às mesas. Anualmente, a Itália produz mais de 900 mil toneladas de queijo, entre uma centena de diferentes tipos. Saborosíssimos, perfumados e com texturas diversas, os queijos italianos vão muito além dos famosos mussarela, parmesão, provolone e gorgonzola (que, é claro, não devem ficar de fora de sua seleção).

Descubra como harmonizar o clássico queijo Pecorino Romano.

Pecorino Romano

Provavelmente o queijo italiano mais antigo, com mais de dois mil anos de história, é natural da região de Lazio, na parte central da Itália, procedendo também da ilha da Sardenha. O leite de ovelha, seu principal ingrediente, é determinante para deixar o queijo com sabor mais intenso e levemente picante. Seu tempo de maturação é de, pelo menos, cinco meses.

Sugestão de harmonização: Sordo Barbera D’Alba

 

 

“Além de observar a intensidade, nesse caso, devemos tomar cuidado com o sal. O Pecorino Romano não apenas é um queijo de forte sabor e com algumas notas picantes, mas, também, é um queijo que, quando bem envelhecido, tem o sabor salgado mais acentuado. Vinhos com taninos mais duros e marcantes têm mais dificuldade de encontrar harmonia com esse queijo. Damos, então, preferência a vinhos encorpados, com taninos mais macios e acidez presente. A sugestão aqui é o piemontês Sordo Barbera D’Alba, um vinho extraordinário que acompanha muito bem a nota picante do queijo em questão sem que o sal realce o amargor ou o tanino. De qualquer maneira, a ideia é conhecer bem o queijo que será servido, pois, de produtor para produtor, mesmo a nota salgada pode variar e permitir que vinhos mais tânicos entrem na brincadeira”, sugere Felipe.