A Chardonnay é conhecida como a “Rainha das Uvas Brancas” e recebe este apelido por sua popularidade e cultivo difundido. É nativa da Borgonha, na França, e estrela dos Chablis – um dos estilos de vinhos brancos mais renomados do mundo. Mas, a sua versatilidade permite que seja produzida por todo o mundo com muita facilidade. Ela também é a protagonista de diversos dos melhores e mais elegantes espumantes do mundo, além de estar presente em boa parte dos Champagnes.

Suas características originais são quase neutras. Com isso, o produtor tem muita liberdade para usar a criatividade e transformar seus vinhos de Chardonnay em exemplares únicos do terroir. Mas, no geral, são vinhos que possuem boa estrutura e acidez, e aproveitam muito bem o estágio em barricas de carvalho. Seus aromas vão de maçã e limão, frutas tropicais e de caroço, passando por flores e notas minerais, podendo chegar a amanteigados, como iogurte, dependendo do modo de fermentação.

 

 

Como harmonizar

 

  • Chardonnays mais leves se dão muito bem com peixes e frutos do mar de todo tipo. Já os mais encorpados ficam ótimos com uma carne de aves ou suína, massas com molhos mais cremosos ou com bacon e também risotos.

Dica: no preparo da receita, adicione um pouco do vinho que será servido. Assim, a harmonização ficará muito mais fácil.

  • para uma noite de queijos e vinhos, aproveite os vinhos mais leves com mozzarella di búfala e pãezinhos italianos com mascarpone.

 

  • Os Chardonnays mais encorpados vão bem com queijos mais picantes, como o Edam e o Gouda. Um parmesão de meia cura pode ser o curinga.

 

  • Além disso, inove na charcutaria: lombo suíno, peito de peru, copa, presunto parma ou salames, que podem ser com ou sem condimentos, dependendo da acidez e estrutura do Chardonnay escolhido.

Agora que você já conhece mais sobre a uva, seus vinhos e como harmonizar, abra uma boa garrafa de vinho e brinde ao Chardonnay Day.